Rock in Rio pode ser suspenso por irregularidades na segurança

logo_rockinrio2011

O Ministério Público do Rio entrou com um pedido de liminar na noite desta terça para suspender a realização do Rock in Rio “até a comprovação de que foram sanadas as irregularidades” no atendimento médico do festival.

As irregularidades foram detectadas em vistorias dos Bombeiros e do Ministério Público durante o primeiro fim de semana do evento (13 a 16/9).

Segundo o laudo oficial dos agentes, o número de médicos, de leitos, de suprimentos e de ambulâncias era insuficiente e não cumpria o que havia sido exigido. Quem buscava o serviço médico (mais de 1.750 pessoas nos três primeiros dias, segundo a organização) recebia um atendimento deficiente.

Isso sem contar, as centenas de pessoas que foram assaltadas dentro do evento, no último fim de semana.

Nesta tarde a juíza Márcia Cunha de Araújo Carvalho, da 2ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, aeitou o pedido de liminar do Ministério Público Estadual e determinou que os próximos quatro dias de evento só poderão ser realizados caso a organização cumpra todas as normas do Corpo de Bombeiros.

Segundo o jornal O Globo o Rock In Rio terá de pagar uma multa de R$ 10 milhões por dia caso as irregularidades não sejam sanadas.

Desde às 17h desta tarde está acontecendo uma inspeção na Cidade do Rock e até esse horário a organização do festival disse não ter recebido nenhum tipo de comunicado oficial quanto aos problemas ocorridos nos três primeiros dias de festival.

Segundo a assessoria do MPE, as medidas não tem como objetivo cancelar o festival e sim zelar pela segurança dos espectadores.