Resenha: Valfreya – Path To Eternity

Path To Eternity - Valfreya

O primeiro fator preponderante na sonoridade deste trabalho é o ar obscuro e maléfico que o circunda. Diferentemente da maioria, as composições aqui poderiam soar como a trilha sonora do vilão da história. Mesmo contendo ótimos arranjos e uma boa melodia, o som da Valfreya possui peso e agressividade.
A vocalista Crook investe em vocais rasgados se alternando com narrativas, sussurros e vocais limpos de vez em quando. As linhas de guitarras são ríspidas, porém técnicas, enquanto a cozinha faz seu trabalho necessário. Tudo com arranjos de teclados muito bem encaixados e nada exagerados.

Há também influências da música clássica, porém bem encaixados e dentro do limite, sem tirar o peso necessário. Apesar das belíssimas e épicas Confront Immensity e My Everlasting Star se destacarem, é nas agressivas Inferno e Condemned World que a banda soa mais Black Metal. Não posso deixar de citar também Beyond Illusion, uma das melhores do trabalho.

Enfim, “Path To Eternity” é um bom trabalho de estreia que provavelmente terá uma ótima aceitação na Europa, principalmente nos países nórdicos. Também é inevitavelmente indicado a fãs de Fintroll, Ensiferum e Opera IX.

 

Path To Eternity – Valfreya

Canada – 2012

Genre: Black Metal / Folk Metal
Label: Maple Metal Records

Tracklist:

Path to Eternity (Intro)
Deity’s Grace
Inferno
Beyond Illusions
Ocean’s Assault
Confront Immensity
Condemned World
Alefest
My Everlasting Star
Glorious Death (Outro)