Resenha: Almah – Unfold

almah-unfold

O Almah sempre foi uma banda respeitada e querida na cena metálica nacional, ainda que o foco do vocalista Edu Falaschi estivesse sempre voltado para o Angra no período em que ele integrou as duas bandas simultaneamente. Mas agora o Angra é passado na vida de Edu e isso fez muito, muito bem para ele e para o Almah.

“Unfold”, o quarto álbum do grupo, traz uma proposta bastante interessante e original. É claro que temos ainda alguma influência do Angra (a balada “Warm Wind” e a rápida “Believer”, por exemplo) e do próprio passado do Almah aqui. O repertório, porém, é variado e uma mistura de tudo isso, mas com uma pegada mais moderna e visceral – que pode ser comprovada na trinca de abertura “In My Sleep”, “Beware the Stroke” e “The Hostage”.

“Raise the Sun” é uma faixa típica de power metal com um toque sinfônico, e a longa “Treasure of Gods” é outra que vai fazer a alegria de todos. Já a pesada “Cannibals In Suits” vai dividir opiniões e “Wings of Revolution”, pretensiosamente comercial, é mesmo indefensável e um dos pontos negativos do disco. O encerramento com “Farewell” também é bastante sem graça, mas não chega a comprometer.

De todo modo, “Unfold” é inspirado, mas também agressivo, complexo e técnico. Nesse quesito, todos os louros vão para o baterista Marcelo Moreira, que novamente mostra uma performance impecável. A formação se completa com os guitarristas Marcelo Barbosa e Gustavo Di Padua, além do baixista Raphael Dafras. O próprio Falaschi deixou de lado grande parte da afetação e está muito melhor do que em seus tempos de Angra. Uma mudança de foco bastante bem-vinda em todos os sentidos.

Almah – Unfold

Substancial Music

Lançamento: 2013

01. In my Sleep
02. Beware the Stroke
03. The Hostage
04. Warm Wind
05. Raise the Sun
06. Cannibals in Suits
07. Wings of Revolution
08. Believer
09. I Do
10. You Gotta Stand
11. Treasure of the Gods
12. Farewell

Fonte: Rock Online