Resenha: Epica – The Quantum Enigma

epica -2014-promo-ss

Não podemos negar que o Epica é uma banda sobrevivente. Apesar de ter surgido depois do estouro das bandas que mesclavam metal e gótico com orquestrações, suas raízes estão fincadas nessa época, já que nasceu das cinzas do After Forever. Por isso ainda é louvável que a banda continue mais ou menos neste caminho, inclusive com a utilização de alternância de vocais femininos e masculinos, o que ficou conhecido como “a bela e a fera”.

epicaquantumcover-300x300

Enquanto algumas bandas se tornaram extremamente pop, como o Within Temptation, ou abraçaram uma sonoridade para agradar o mercado norte-americano, como o Lacuna Coil, o Epica mantém, disco após disco, o instrumental pesado, coros e uma certa grandiloquência nas orquestrações elaboradas. Às vezes, pomposas demais.

“The Quantum Enigma” é o sexto álbum na discografia da banda e traz tudo isso que os fãs esperam e realmente gostam na banda. Pode-se dizer que é um álbum dramático e essa dramaticidade se dá principalmente pelo clima criado com as orquestrações, desde a faixa de abertura, “Originem”.

A produção deste disco deve ter sido algo muito, muito trabalhoso. Além do coro de 16 vozes, há violoncelos, violas e violinos. No disco isso é tudo muito bem vindo, mas e ao vivo? Enfim, o primeiro destaque do disco é a terceira faixa, “The Essence of Silence”.

Depois de bela introdução ao violino, as guitarras, baixo e bateria entram com uma sequência quase prog metal que antecede o vocal gutural de Mark Jansen e em seguida Simone Simmons cantando alto.

Há músicas extremamente agressivas no disco, como a boa “Victims of Contingency”, que eu arrisco a dizer que esbarra no death metal, principalmente nas partes do vocal gutural. Quem prefere uma música mais cadenciada, vai curtir “Sense Without Sanity – The Impervious Code”, que apresenta um riff mais quadradrão.

No meio da audição, chama atenção a faixa “The Fifth Guardian – Interlude”, que começa com uma melodia que parece saída de um disco do Kitaro. Belo momento instrumental do disco que contrasta com a porrada que sem na sequência, sem trégua: “Chemical Insomnia”.

“The Quantum Enigma” é um disco longo. Das 13 faixas da edição padrão em CD, oito delas tem mais de cinco minutos de duração, sendo que a faixa-título tem quase 12 minutos. O álbum também está disponível com diversos bônus dependendo da edição: digital, digipack, CD japonês, earbook, etc.

Este é um disco que reafirma a posição da banda dentro do universo do metal sinfônico. O que certamente vai agradar aos fãs do estilo.

Epica – The Quantum Enigma

2014 – Nuclear Blast

01. Originem
02. The Second Stone
03. The Essence of Silence
04. Victims of Contingency
05. Sense Without Sanity – The Impervious Code
06. Unchain Utopia
07. The Fifth Guardian – Interlude
08. Chemical Insomnia
09. Reverence – Living in the Heart
10. Omen – The Ghoulish Malady
11. Canvas of Life
12. Natural Corruption
13. The Quantum Enigma – Kingdom of Heaven Part II