Resenha: Anthrax – For All Kings

fwpfr0ClU9k[1]

Em 35 anos de carreira o Anthrax se tornou um dos grandes nomes do metal produzido nos Estados Unidos e, mais do que isso, um dos precursores do estilo que veio a ser chamado thrash metal. “For All Kings” é o 11º disco de estúdio na história do grupo e o 17º se colocarmos na conta os registros ao vivo. É uma bela discografia que conseguiu manter uma produção regular, apesar das mudanças de formação.

Por falar nisso, neste álbum o grupo formado pelo guitarrista Scott Ian em 1981 traz o primeiro registro oficial em estúdio da atual formação, contando com o guitarrista Jonathan Donais que desde 2013 excursiona com o Anthrax. Além dos dois, completam o grupo os já conhecidos Joey Belladonna (voz), Charlie Benante (bateria) e Frank Bello (baixo).

Assim como as outras três bandas que formam o Big Four – Metallica, Megadeth e Slayer – o Anthrax também passou por algumas mudanças em sua sonoridade, principalmente durante a década de 1990. Porém, atualmente, talvez seja a que mais se aproxima do seu som original, incluindo novos elementos sem descaracterizar aquela sonoridade que fez com que o grupo se tornasse grande.

A relativamente longa “You Gotta Believe”, que ocupa os primeiros sete minutos do disco, começa com uma curiosa introdução quase cinematográfica, mas logo depois os riffs marcantes de Ian e as batidas certeiras de Benante te mostram que o Anthrax continua em boa forma.

Além das partes mais rápidas e obviamente mais thrash metal, também há espaço para momentos cheios de melodia e que, de certo modo, trazem uma sonoridade mais abrangente, digamos assim, como a excelente “Blood Eagle Wings”, que ganhou uma edição em vídeo que mostra um antigo método de execução bizarro, no mínimo.

Essa adição de momentos mais melódicos deixam as composições muito mais interessantes do que simplesmente os marcantes riffs criados por Scott Ian. Enquanto “Monster at the End” remete aos trabalhos mais antigos, porém com um refrão cativante, outras como “Breathing Lightning”, se mostram mais como uma mistura do passado e presente da banda.

“For All Kings” se mostra um álbum com potencial de unir gerações de fãs e, o principal, certifica que o Anthrax continua capaz de produzir material de qualidade sem precisar entrar em modas. A banda certamente está muito além disso.

01. You Gotta Believe
02. Monster at the End
03. For All Kings
04. Breathing Lightning
05. Suzerain
06. Evil Twin
07. Blood Eagle Wings
08. Defend/Avenge
09. All of Them Thieves
10. This Battle Chose Us
11. Zero Tolerance

Fonte: Rock Online