Todos os post de Henrique Campos

Criador e idealizador de tudo isso.

Ancesttral: novo álbum disponível; confira, “Web of Lies”

 

Web of Lies“, segundo full da carreira do Ancesttral, vem sendo aguardado com muita ansiedade pelos fãs da banda, que desde o lançamento do premiado EP ‘Bloodshed and Violence’ de 2012.

A espera chegou ao fim e ‘Web Of Lies’ já pode ser comprado diretamente com o grupo por e-mail, Facebook e pela loja (com várias opções de pagamento e frete).

O CD também estará à venda no Rock Na Porta, festival que acontece neste domingo com entrada FRANCA na porta da lendária Woodstock Rock Store. O evento começa às 11h e recebe apresentações das bandas Viborah, Statues On Fire, StormSons, King Of Bones e Damage Inc, além claro doAncesttral.

Todas as informações podem ser conferidas no Facebook.

Web Of Lies’ está sendo lançado no Brasil pela renomada Shinigami Records. O disco foi produzido pelo ganhador do Grammy Latino, Paulo Anhaia. Já a capa ficou nas mãos do talentoso guitarrista e designer Leonardo Brito.

Hibria: 20 anos de carreira, turnê Norte-americana e novo disco

O ano de 2016 está a todo vapor para o HIBRIA, trabalho intenso e muitas novidades para comemorar os 20 anos de carreira do quinteto gaúcho.

– Lançamento de um EP com três faixas inéditas;
– Gravação de um novo clipe;
– Novo line-up: IVAN BECK é o novo baixista do HIBRIA;
– Gravação de um filme documentário, contando a história da banda;
– Turnê norte-americana comemorativa:

Continue lendo Hibria: 20 anos de carreira, turnê Norte-americana e novo disco

Playlist: 10 musicas para ouvir, conhecer e se apaixonar pelo Within Temptation

Caso você seja novato no ramo do Synphonic/Ghotic metal com vocais femininos ou tenha saído de algum buraco no último ano e ainda não esta familiarizado com o som do Within Temptation. Preparei uma lista com 10 musicas para você ouvir conhecer essa maravilhosa banda. (sim eu rasgo ceda para eles, afinal é uma das bandas que mais admiro).

Continue lendo Playlist: 10 musicas para ouvir, conhecer e se apaixonar pelo Within Temptation

Hangar – Reality is a Prison (VideoClipe)

A banda Hangar acaba de divulgar o videoclipe para a música “Reality is a Prison”, primeira faixa do novo álbum “Stronger Than Ever”. O vídeo foi gravado na cidade de Bebedouro, no interior de São Paulo, e contou com a direção de Junior Carelli e Rudge Campos, da produtora Foggy Filmes. A maquiagem foi realizada pela artista Niandra Costa e o videoclipe também contou com a participação do ator Rodrigo Carmo.

Novas musicas na programação – Julho 2016

ee9b5bfc-b7d3-4042-802a-a51a59e2ead3

Acaba de entrar no ar a programação de Julho da Metal Generation, desta vez somente com os último lançamentos das bandas:

Angra – Synchronicity II

Anvil – Zombie Apocalypse

Blaze Bayley Calling You Home

Eden’s Curse – Sell Your Soul

EQUILIBRIUM – Prey

Hangar – The Hangar of Hannibal

RAGE – War

Motorgun – Hellhounds

SOILWORK – Helsinki

Tarja -Innocence

WITHERSCAPE – In The Eyes Of Idols

ZODIAC – Follow You

Esses foram os principais lançamentos do mês, que você ouve dentro da programação, para ouvir clique AQUI e ai gostou ou quer sugerir um som pra nossa programação? Então é só entrar em nosso canal de contato ou deixar um comentário aqui em baixo.

 

 

 

 

Primal Fear: alemães confirmam novo DVD para 2017

primalfear-e1467059842211

O Primal Fear está planejando lançar um novo DVD/CD para 2017. O produtor e baixista Mat Sinner disse ao Roppongi Rocks: “Nós estamos gravando um concerto para um futuro DVD/CD, e este será nosso próximo projeto. Quando esta turnê acabar, estaremos entrando em fase de mixagem e poderemos lançar no próximo ano. Na última vez, gravamos um álbum ao vivo na América, mas desta vez traremos algo especial para a Europa.”

  • Confira todas as notícias do Primal Fear

O novo álbum do Primal Fear, “Rulebreaker“, foi lançado no dia 29 de janeiro via Frontiers Music Srl. A obra-prima está disponível em CD, DVD/CD versão de luxo – em colaboração com a Soulfood Music na Alemanha – e uma edição super especial e limitadíssima em vinil.

O Primal Fear desembarcará com o Luca Turilli’s Rhapsody, no Rio de Janeiro, dia 01 de setembro, no Circo Voador e no dia 2 de dezembro, em São Paulo, no Tropical Butantã.

SERVIÇO | Primal Fear & Luca Turilli’s Rapshody no Brasil

RIO DE JANEIRO

Data: 01 de setembro / Local: Circo Voador / Hora: 21h00
Censura: 16 anos.
Ingressos de: R$ 80 a R$ 160 (ver tabela completa)

SÃO PAULO

Data: 02 de setembro / Local: Tropical Butantã / Hora: 17h00
Endereço: Av. Valdemar Ferreira, 93 – 200 metros da Estação de Metrô Butantã
Censura: 16 anos (desacompanhados).
Ingressos de: R$ 80,00 a R$ 360,00 (ver tabela completa)

Resenha: Jorn- Heavy Rock Radio

Jorn[1]
Sempre que posso teço elogios àquele que – na minha humilde opinião – é o melhor vocalista de metal da atualidade: o senhor Jørn Lande. E mais uma vez ele não decepciona. Dito isso, vou logo ao que interessa que é o novo álbum de estúdio da banda que leva seu nome, Jorn.

Batizado como “Heavy Rock Radio”, o disco traz uma seleção de 12 faixas gravadas originalmente entre 1974 e 2010 e que agora ganharam nova roupagem graças ao trabalho de Jørn e seus parceiros de banda. A saber: Trond Holter (guitarra), Francesco Iovino (bateria), Thomas Bekkevold (baixo) e Alessandro Del Vecchio (teclado), além de outros convidados em duas faixas específicas.

Segundo o próprio vocalista, quando começou a pensar na possibilidade de gravar mais um disco de covers, entre 40 e 50 canções foram listadas. Com os óbvios cortes necessários, Jørn diminuiu a lista para 15 músicas e finalmente escolheu 12 para o repertório final. Entre as escolhidas temos algumas obviedades, como a sempre presente e bem-vinda homenagem ao mestre Ronnie James Dio, mas também algumas surpresas.

E as surpresas são as que merecem maior atenção no disco. A começar por “I Know There’s Something Going On”, faixa de razoável sucesso da cantora norueguesa Frida, aquela que ficou mundialmente famosa como integrante do grupo sueco ABBA. A versão da banda Jorn conseguiu imprimir peso sem descaracterizar a música, inclusive mantendo certo ar pop. Aliás, esse “pop metalizado” me fez lembrar algo do Helloween na fase “Chameleon”.

Outra faixa do universo pop que ganhou peso foi a belíssima e clássica “Running Up That Hill”, da inglesa Kate Bush. Música que, inclusive, já ganhou versões de Within Temptation e Placebo, só para citar dois nomes do universo rock. A cantora e compositora é um dos casos de artista que ultrapassava a questão do estilo, sendo admirada independentemente do gênero musical de preferência do admirador. Mais uma vez a banda consegue se apropriar da canção e transformá-la, ainda assim sem desfigurar a essência do original.

Ainda entre as versões da seara pop temos “You’re the Voice”, famosa com John Farnham, e então chegamos à um interlúdio com canções que transitam entre o pop e o rock: “Rev on the Red Line”, do Foreigner; “Don’t Stop Believin’”, do Journey; “Live to Win”, de Paul Stanley. Esta última é a única que merece realmente atenção. A banda conseguiu transformar uma música apenas bacana em um puta som, adicionando uma energia que o senhor Starchild ficou devendo na original.

“Killer Queen”, do terceiro disco da banda inglesa Queen, parece ter saído das sessões do excelente “Dracula – Swing of Death”, o álbum da parceria de Jørn Lande e o ótimo guitarrista Trond Holter. Em relação ao instrumental, a música se encaixaria perfeitamente como bônus naquele disco. Aqui, de algum modo ela parece um pouco deslocada, causando alguma estranheza.

A partir da sétima faixa o álbum traz canções que são mais pesadas desde a concepção. Ou, pelo menos, desde que ganharam o mundo. A exceção é a balada “Hotel California”, maior sucesso do Eagles, que ganhou uma roupagem cheia de energia e peso, sem perder as linhas acústicas e o solo, trechos tão famosos da canção. As guitarras adicionadas revigoraram a música e parecem trazer à tona as várias lendas que envolvem a composição. Não conhece as lendas? Google.

Jørn Lande não tem problemas em regravar músicas de artistas contemporâneos ou até mais novos que ele. Veja o caso de “I Walk Alone”, de Tarja Turunen, registrada em “Spirit Black”, de 2009. Então, qual seria o problema em gravar uma versão para uma música relativamente recente de uma das maiores bandas de metal da história? Nenhuma. E aí temos “The Final Frontier”, faixa-título do disco lançado pelo Iron Maiden em 2010. Curioso é que justamente nessa música parece que o quinteto fez o caminho inverso das primeiras faixas do disco: deu uma suavizada no peso original. Ainda assim ficou uma boa versão.

Finalmente chegamos nas óbvias e, como disse no início, muito bem-vindas homenagens a dois dos maiores vocalistas da história do hard rock/metal e claramente duas das maiores influências de Jørn Lande: Ronnie James Dio e David Coverdale.

Dio é lembrado com “Rainbow in the Dark”, de sua banda solo, e “Die Young”, do Black Sabbath. Para o cover do Dio o vocalista contou com os músicos Jimmy Iversen e Tore Moren (guitarras), Nic Angileri (baixo) e Willy Bendiksen (bateria). Se você conhece Jørn Lande, sabe o que esperar: versões muito próximas das originais e, por isso mesmo, a música do Sabbath ficou muito melhor.

Já a homenagem a Coverdale vem na forma de “Stormbringer”. A excelente versão se aproxima mais daquela que o próprio ex-vocalista do Deep Purple fez recentemente no disco “The Purple Album”, do que da original, lançada em 1974, ou seja, muito mais peso. Esta gravação traz Jørn junto com os músicos Jorn Viggo Lofstad (guitarra), Sid Ringsby (baixo) e Willy Bendiksen (bateria).

Ao vermos a lista de músicas escolhidas pela banda Jorn para este disco, talvez duvidemos do resultado. Mas ao ouvir o álbum fica claro que a qualidade dos músicos e a força da voz de Jørn Lande conseguem criar uma unidade que muitas bandas não têm nem em seus trabalhos autorais. Apesar da capa de gosto duvidoso, o conteúdo é dos melhores.

Jorn- Heavy Rock Radio – 2016
01. I Know There’s Something Going On
02. Running Up That Hill
03. Rev on the Red Line
04. You’re the Voice
05. Live to Win
06. Don’t Stop Believin’
07. Killer Queen
08. Hotel California
09. Rainbow in the Dark
10. The Final Frontier
11. Stormbringer
12. Die Young

Angra – Synchronicity II (VideoClipe)

O Angra acaba de lançar videoclipe para “Synchronicity II”, sua versão para a música do Police que só saiu na edição europeia do álbum de estúdio “Secret Garden”, lançado em 2015.

O vídeo ainda traz o guitarrista Kiko Loureiro, em imagens gravadas antes do músico assumir o posto no Megadeth. As gravações foram feitas nas instalações do aeroporto privado da TAM, em São Carlos (SP).

“Gravar este videoclipe no aeroporto da TAM foi muito especial e a direção de Drico Mello e Tony Tiger deu um ar futurista para o vídeo. ‘Synchronicity II’ é uma de minhas músicas favoritas do The Police e gravar uma versão dela foi uma honra. Sua complexidade e simplicidade, ao mesmo tempo, tem tudo a ver com o Angra”, disse Felipe Andreoli, baixista do Angra.

Tarja Turunen – Innocence (Videoclipe)

tarjaturunenb1

Tarja esta seguindo firme e forte na divulgação de seu novo álbum “Innocence” é oficialmente a primeira musica do álbum The Shadow Self, que tem data de lançamento para agosto.

A musica No Bitter End lançada em Abril faz parte do “Álbum Bônus” The Brightest Void lançado em junho.

Innocence da as premiras dicas do que será o seu novo álbum. Coração já batendo a mil na expectativa de ouvir o álbum todo em agosto.

Blaze Bayley – Calling You Name (Videoclipe)

O vocalista Blaze Bayley lançou há alguns meses o álbum “Infinite Entanglement”, um disco forte e consistente, que mostra que ele não precisa viver à sombra da Donzela.

Para dar sequência na divulgação do novo material, o vocalista criou um videoclipe para uma das faixas, “Calling You Home”. O vídeo traz cenas registradas durante a turnê do disco pela Europa.

Ozzy Osbourne estreia programa sobre história ao lado de seu filho Jack

41795_130616_1403_g[1]

O príncipe das trevas Ozzy Osbourne também é história. Ou será, assim que o novo programa “Ozzy and Jack’s World Detour”, que apresentará ao lado de seu filho Jack, estrear no History Channel, no próximo dia 27 de julho.

Pai e filho farão uma viagem ao redor da Terra a fim de explorar eventos históricos de relevância. A aventura será exibida em programas semanais de uma hora de duração. Entre os locais visitados pela dupla estão Stonehenge; Bletchley Park, onde está a máquina que Alan Turing usou para quebrar os códigos nazistas; e Roswell, local conhecido pela suposta queda de uma nave alienígena.

“Ozzy and Jack’s World Detour” contará com 10 episódios. Um trailer foi divulgado – veja abaixo – e nele está contido o formato do programa: Jack é quem conduz o show, com Ozzy Osbourne fazendo o papel de… Ozzy, com comentários que dão um toque de humor à narrativa.

Resenha: Tarja Turunen – The Brightest Void

tarjathebrightestvoidcd[1]

“The Brightest Void” é, oficialmente, o sexto disco de estúdio da cantora Tarja Turunen, contando aí com os dois registros de versões de música clássica “Henkäys ikuisuudesta” e “Ave Maria – En Plein Air”. Este novo trabalho pode ser considerado uma prévia de outro álbum previsto para chegar às lojas em agosto, “The Shadow Self”.

Este aperitivo dado aos fãs conta com nove faixas, incluindo covers, versões de faixas já conhecidas, novidades e uma nova mixagem de “Paradise (What About Us)”, música que originalmente foi lançada no álbum “Hydra”, do Within Temptation, e traz Tarja dividindo os vocais com Sharon den Adel e acompanhamento dos músicos da banda holandesa.

A primeira faixa do repertório é “No Bitter End”, música que começa com um riff que parece indicar que a ex-vocalista do Nightwish procurou uma sonoridade mais pesada em suas novas composições. Porém, nos versos esse peso inicial perde força e principalmente durante o refrão. O que parecia uma guinada ao lado pesado da força se esvanece rápido.

Para as sessões de gravação do material que resultou em “The Brightest Void” e “The Shadow Self”, Tarja contou com alguns músicos convidados. Um deles é o vocalista e saxofonista finlandês Michael Monroe, que ganhou fama no mundo do rock como vocalista da banda punk glam Hanoi Rocks. Monroe colabora em “Your Heaven and Your Hell”. Um heavy rock rápido e direto com um belo interlúdio que conta até com um solo de sax. A música é bem bacana, mas soa estranha sendo incluída em um disco de Tarja.

A faixa seguinte, chamada “Eagle Eye”, traz outros dois convidados: Toni Turunen, irmão da vocalista, e o baterista Chad Smith, do Red Hot Chili Peppers. Segundo a própria Tarja, no disco “The Shadow Self” esta música será incluída em uma nova versão contando com outros músicos. Sobre a música em si, é mais a cara do trabalho já conhecido de Tarja, bastante melódico e bem comercial, apesar de lampejos de metal com uma guitarra pesada.

“An Empty Dream” vem em seguida. Música já conhecida dos fãs, foi lançada no ano passado originalmente na trilha do filme argentino “Corazón Muerto”. A nova versão traz mais incursões de barulhos e chiados – ou efeitos, se preferir – que ajudam a reforçar o clima sombrio do filme, além de ter uma presença mais marcante da voz da cantora.

Uma música que realmente é um achado neste repertório é a bela versão de “House of Wax”. Lançada por Paul McCartney no disco “Memory Almost Full”, de 2007, o cover gravado por Tarja deixou a música muito mais sombria e melancólica, porém muito bonita. Ponto alto do álbum, com um belo solo de guitarra.

Como anunciado, “The Brightest Void” é um prenúncio do próximo álbum. Por isso e pelo próprio repertório mediano, o item provavelmente valha muito para aumentar a coleção dos fãs de Tarja Turunen, mas não deve empolgar os poucos familiarizados com o trabalho da ex-Nightwish.

Tarja Turunen

The Brightest Void – 2016

01. No Bitter End (videoclip version)
02. Your Heaven and Your Hell (com Michael Monroe)
03. Eagle Eye (com Chad Smith & Toni Turunen)
04. An Empty Dream
05. Witch Hunt
06. Shameless
07. House of Wax (Paul McCartney cover)
08. Goldfinger (Shirley Bassey cover)
09. Paradise (What About Us) (com Within Temptation)

Crédito: Rock online

Whitesnake voltará ao Brasil para shows em setembro

01-atxxl[1]

Conforme divulgado pelo Jornal Destak, o Whitesnake, voltará ao Brasil para uma série de shows, após sua última passagem pelo país, no Monsters of Rock, em 2013. As datas, cidades e locais estão ainda sendo definidos e posteriormente serão divulgadas aqui, no Imprensa do Rock.

Atualmente, o Whitesnake está na estrada com a The Greatest Hits Tour. O último álbum lançado é o “The Purple Album”, de 2015, que conta com regravações de faixas de 1974 até 1976. De inéditas o último lançamento foi “Forevermore”, de 2011.

Veja a reação de Tarja Turunen ao saber que sua musica foi cantada por Léo Áquila em seu casamento.

Um dos assuntos dos tabloides de fofoca dos famosos desta semana foi o casamento da jornalista Léo Áquila. Mas o que chamou a atenção nesta casamento foi a escolha da musica I Walk Alone da Tarja Turunen, que Léo entrou cantando enquanto caminhava até o altar.

Essa notícia chegou até Tarja, que postou sua reação no Facebook na última quinta-feira. Facebook

 

Feed de Notícias


Tarja Turunen

na quinta

I wish the best of success for Léo and Chico! You made me feel a part of this important moment in your life.


Aliviada e dizendo ter passado por um “quase piripaque”, a jornalista Léo Áquilla saiu da cerimônia de seu casamento com a “alma etername…
tvefamosos.uol.com.br

 

“Eu desejo o melhor do sucesso para Léo e Chico! Vocês fizeram com que eu me sentisse parte deste momento importante em suas vidas”, disse a cantora em um post em sua conta oficial no Facebook, compartilhando uma matéria do UOL sobre o casamento.

Léo Áquila, depois contou ao UOL o motivo da escolha da canção. “Cantei essa música no ouvido do Chico quando ele estava na UTI e prometi para ele que iria cantar no casamento se ele voltasse. Como ele se curou, ensaiei o tempo todo para fazer essa surpresa para ele”. Chico havia fico hospitalizado entre a vida e a morte no inicio do ano após uma embolia pulmonar

Nós da Metal Generation Ficamos Felizes pelo casal, pala reação positiva de Tarja e por todo amor envolvido nesta união. Independente de questões de sexualidade e afins!