Ewan McGregor pode voltar como Obi Wan Kenobi em “Star Wars VII”

ewan-mcgregor-obi-wan-kenobi

O personagem Obi Wan Kenobi não será esquecido nos novos filmes de “Star Wars”. Segundo o site Latino Review, Ewan McGregor voltará para interpretá-lo.

Obi Wan vai aparecer em sua forma espectral nos novos filmes, assim como já ocorreu em “Episódio VI: O Retorno do Jedi”. Como o ator Alec Guiness, que vivia o personagem na trilogia original, morreu em 2000, McGregor é a opção para resgatar o personagem. O ator já mostrou interesse em retornar à série.

Star-Wars-espectros

Será que McGregor o ator vai ficar mais velho através de maquiagem, ou efeitos especiais, para parecer mais com o espectro visto no filme antigo, ou os produtores vão utilizar a imagem de Obi Wan jovem, dos filmes mais recentes?

Quem também deve retornar em forma de espectro, é o grande vilão da série, o Imperador Palatine. Mas ainda não se sabe quem deve interpretá-lo.

“Star Wars VII” será dirigido por J.J. Abrams e a estreia está prometida para 2015.

Fonte: PapelPop

Resenha: Shadows Legacy – Rage and Hate

 

ep rage and hate 1

A banda Shadows Legacy foi formada em 2006 em Campos Grande MS. E laçou sua primeira Demo “The Sky Is Falling Down” em 2010. E agora lança o EP “Rage and Hate” que conta com duas faixas que farão do seu primeiro álbum “You’re Going StraightTo Hell”. O que ouvimos neste EP é um Heavy Metal Puro e sem frescuras.  Podemos até tomar como base pra descrever o som deles, bandas brasileiras como Hellish War. Quem assina a produção deste trabalho é Aldo Carmine. Este EP ainda conta com mais duas faixas “Algel Of Hell” E “Far From The Lights” que fazem parta de Demo lançada em 2010.

Agora é aguardar pelo álbum completo que deve ser lançado em brave.

Shadows Legacy – Rage And Hate EP

Lançamento 2013

Independente

Faixas:

1-      Rage And Hate

2-      We are The Legancy

3-      Angel Of Hell (Bonus Demo)

4-      Far From The Light (Bonus Demo)

Integrantes:

Wille Cardoso – Vocal

Leandro Motta – Guitarra

Max Batista – Gruitarra

Luciano Rivero – Baixo

Augusto Morais – Bateria

Anathema confirma único show no Brasil em outubro

Anathema

Muito aguardada pelo fãs brasileiros, a banda inglesa Anathema confirmou um único show no Brasil confirmado até o momento, para o próximo dia 13 de outubro. A apresentação, com produção da Agência Sob Controle, acontece no Carioca Club, em São Paulo.

Os ingressos já estão à venda no site da Ticket Brasil – www.ticketbrasil.com.br -, na Galeria do Rock (Lady Snake e Mutilation) e em Santo André (Metal CDs). O serviço completo pode ser conferio abaixo.

O Anathema é formado Vincent Cavanagh (guitarra, voz), Daniel Cavanagh (guitarra, teclado), Jamie Cavanagh (baixo), Lee Douglas (voz) e John Douglas (bateria) e vem ao País com a turnê de divulgação de “Weather Systems”, álbum lançado no ano passado. A banda prepara “Universal”, disco duplo e DVD ao vivo gravado no antigo teatro romano de Philippopolis com a Orquestra Filarmonica de Plovdiv.

13/10/2013 – São Paulo/SP
Carioca Club – Rua Cardeal Arcoverde, 2899
Horário: 18h00 (abertura das portas)
I ngressos: R$ 70,00 (Pista, 1° lote, Estudantes e promocionais), R$ 90,00 (Pista, 2° lote, Estudantes e promocionais), R$ 100,00 (Pista, Porta, Estudantes e promocionais), R$ 100,00 (Mezanino 1° lote, Estudantes e promocionais), R$ 150,00 (Mezanino 2° lote, Estudantes e promocionais)
Vendas online: www.ticketbrasil.com.br
Informações: 11 3813-8598

Biografia: Metallica

O Metallica foi formado em Los Angeles, Califórnia, no início de 1981 quando o baterista Lars Ulrich colocou um anúncio num jornal de Los Angeles—The Recycler—que dizia “Baterista à procura de outros músicos de metal para jam com Tygers of Pan Tang, Diamond Head e Iron Maiden”. Os guitarristas James Hetfield e Hugh Tanner de Leather Charm responderam ao anúncio. Embora ele não tivesse formado uma banda, Ulrich perguntou para o fundador da Metal Blade Records Brian Slagel se ele podia gravar uma canção para a próxima compilação da gravadora intitulada Metal Massacre. Slagel aceitou e Ulrich recrutou Hetfield para cantar e tocar guitarra.
O logótipo clássico de “Metallica” usado nos seus lançamentos iniciais. Uma versão ligeiramente modificada foi usada no álbum Death Magnetic de 2008 e no jogo Guitar Hero: Metallica de 2009.
Ulrich conversou com seu amigo Ron Quintana , que estava criando nomes para um fanzine. Quintana tinha proposto os nomes Metal Mania e Metallica. Ulrich utilizou Metallica para o nome de sua banda. Um segundo anúncio foi colocado no The Recycler para a posição de guitarrista solo. Dave Mustaine respondeu, e depois de verem seu equipamento caro de guitarra, Ulrich e Hetfield o recrutaram. No início de 1982, o Metallica gravou a primeira canção de sua autoria, “Hit the Lights”, para a compilação Metal Massacre I. Hetfield tocou baixo na canção e Lloyd Grant foi creditado como o autor de um solo de guitarra. Lançado em 14 de Junho de 1982, a primeira prensagem de Metal Massacre I listou incorretamente a banda como “Mettallica”. Apesar de indignado pelo erro, o Metallica conseguiu criar suficiente “buzz” com a canção, e a banda fez seu primeiro concerto ao vivo em 14 de Março de 1982, na Radio City em Anaheim, Califórnia com o novo baixista Ron McGovney. O Metallica gravou sua primeira demo, intitulada No Life ´Til Leather, um nome inspirado pelos primeiros cartões de visita de Quintana, no início de 1982. No Outono de 1982, Ulrich e Hetfield assistiram a um show na casa noturna Whisky a Go Go em que apresentou o baixista Cliff Burton em uma banda chamada Trauma. Os dois ficaram impressionados por Burton utilizar um pedal wah-wah e o convidaram para se juntar ao Metallica. Hetfield e Mustaine queriam McGovney fora da banda porque achavam que ele “não contribuia em nada, apenas seguia.”Embora Burton tenha inicialmente recusado a oferta, no final daquele ano ele a aceitou com a condição da banda mover-se para San Francisco. A primeira apresentação ao vivo do Metallica com Burton foi na casa noturna The Stone em Março de 1983, e a primeira gravação com Burton foi a demo Megaforce, de 1983.
O Metallica estava pronto para gravar seu álbum de estreia. Porém, quando a Metal Blade se mostrou incapaz de financiá-lo, a banda começou a buscar outras opções. O promotor de concertos Johnny “Z” Zazula, que tinha ouvido a demo No Life ’til Leather, de 1982, ofereceu-se para mediar um acordo de gravação entre o Metallica com as gravadoras de Nova Iorque. Depois de não despertar nenhum interesse de várias gravadoras, Zazula emprestou dinheiro para financiar o orçamento da gravação e assinou com o Metallica para a sua própria gravadora, Megaforce Records. Os membros da banda decidiram expulsar Mustaine devido às drogas, abuso de álcool e comportamento violento. O guitarrista Kirk Hammett do Exodus voou para substituir Mustaine na mesma tarde. O primeiro show do Metallica com Hammett foi em 16 de Abril de 1983, na casa noturna The Showplace em Dover, Nova Jérsei.

 

Em 1983, Metallica viajou para Rochester, Nova Iorque para gravar seu primeiro álbum, que teria o título provisório de Metal Up Your Ass, produzido por Paul Curcio. Devido a conflitos com a gravadora da banda e os distribuidores se recusarem a lançar um álbum com esse título, ele foi renomeado Kill ‘Em All. Lançado pela Megaforce Records nos EUA e Music for Nations na Europa, o álbum culminou no número 120 da Billboard 200 e Dave Mustaine, guitarrista que havia sido expulso da banda antes de gravar o álbum foi creditado em algumas das letras, mas este afirmou que havia dito à banda para não utilizarem as músicas que ele havia escrito, Hetfield e Ulrich contestam tal afirmação. Mustaine também reivindica os solos das músicas em que tocava junto à banda. Kirk Hammett nega o fato até hoje.
Uma música, “The Four Horsemen”, foi originalmente escrita por Mustaine e nomeada “The Mechanix”. Ela foi tocada em muitos shows do Metallica no início. Após a saída de Mustaine, Kirk Hammett adicionou uma passagem melódica à música e Hetfield reescreveu a letra, alegando sentir-se pouco confortável cantando a letra escrita por Mustaine, e a banda a renomeou “The Four Horsemen”. Mustaine manteve a versão original rápida da música, renomeando-a simplesmente “Mechanix”, e a incluiu no álbum Killing Is My Business… And Business Is Good!, álbum de estreia da nova banda que ele havia formado, o Megadeth.
Após o lançamento do álbum, o Metallica embarcou com Raven na turnê Kill ‘Em All for One para apoiar o lançamento.9 Em Fevereiro de 1984, o Metallica apoiou a banda inglesa Venom na turnê Seven Dates of Hell, onde eles tocaram para 7,000 pessoas no Aardschok Festival em Zwolle, Países Baixos.

 

O Metallica gravou seu segundo álbum de estúdio, Ride the Lightning, no estúdio Sweet Silence em Copenhague, Dinamarca. Lançado em agosto de 1984, o álbum culminou no número 100 na Billboard 200 e mais tarde foi adicionado na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame. O nome do álbum é uma gíria usada entre presidiários para designar os condenados à morte na cadeira elétrica, e a mesma é utilizada na capa do álbum. As letras do álbum abordam temas como o desespero, a morte e o medo da perda.
Uma prensagem francesa erroneamente imprimiu a capa do álbum na cor verde, e esses poucos discos comercializados com essa capa, hoje são considerados itens de coleção. O álbum inclui canções como “For Whom the Bell Tolls”, “Creeping Death” (que narra a história bíblica do êxodo de escravidão dos hebreus no Egito, incidindo sobre as diversas pragas que foram visitados com os egípcios), a música “Fade to Black” (que versa sobre depressão e suicídio) e a instrumental “The Call of Ktulu”. Mustaine recebeu credito como letrista para “Ride the Lightning” e co-autor na instrumental “The Call of Ktulu”.
Amostra de “Damage, Inc.” retirado do álbum “Master of Puppets” (1986). Demonstra o ritmo rápido e agressivo da banda nos seus lançamentos iniciais.
Problemas para escutar este arquivo? Veja introdução à mídia.
O diretor de A&R da Elektra Records Michael Alago, e co-fundador do Q-Prime Management Cliff Burnstein, assistiu um concerto do Metallica em setembro de 1984. Impressionado com o que viu, ele contratou o Metallica para a Elektra Records, e fez a banda de um cliente da Q-Prime Management.11 O crescente sucesso do Metallica foi tal que a gravadora britânica Music for Nations emitiu uma edição limitada do EP Creeping Death, que vendeu 40.000 exemplares como uma importação nos EUA. Duas das três canções do registro (versões cover de Diamond Head “Am I Evil?”, e de Blitzkrieg “Blitzkrieg”) apareceram no relançamento de Kill ‘Em All em 1989 pela Elektra Records.12 O Metallica embarcou na sua primeira grande turnê Europeia com Tank a uma audiência média de 1.300 pessoas. Retornando para os EUA, marcou uma turnê co-headlining com W.A.S.P. e suporte de Armored Saint. Metallica fez seu maior show até então no festival Monsters of Rock em 17 de agosto de 1985, com Bon Jovi e Ratt em Donington Park, na Inglaterra, tocando na frente de 70.000 pessoas. Um show em Oakland, Califórnia no festival Days on the Green viram a banda tocar em frente a uma multidão de 60.000 pessoas.
O terceiro álbum de estúdio do Metallica, Master of Puppets foi gravado no Sweet Silence Studios, e foi lançado em março de 1986. O álbum culminou no número 29 na Billboard 200, e permaneceu durante 72 semanas na parada. O álbum foi o primeiro da banda a ser certificado como disco de ouro em 4 de novembro de 1986, e foi certificado seis vezes platina em 2003, além de ser o segundo álbum da banda presente na Lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.
Amplamente é reconhecido como um dos maiores álbuns da história do metal. A revista inglesa Metal Hammer e o site MusicRadar.com se uniram para promover uma votação para eleger o melhor álbum de Heavy Metal de todos os tempos; o escolhido fora o álbum Master of Puppets. O álbum reúne a agressividade e a velocidade de Kill ‘Em All, com a técnica de Ride the Lightning, em composições extremamente elaboradas, com riffs e solos complexos.
Um fato importante sobre Master of Puppets é que ele é um álbum conceitual onde a banda desenvolve o tema “Dominação” no decorrer das canções, o que fica muito claro na letras das faixas “Master of Puppets”, “Disposable Heroes” e “Leper Messiah”. Foi o segundo álbum conceitual na carreira do Metallica. O primeiro foi Ride the Lightning, onde a banda falou sobre a morte.
Na sequência do lançamento do álbum, Metallica apoiou Ozzy Osbourne numa turnê nos EUA.11 Hetfield quebrou seu pulso andando de skate e continuou a turnê apenas cantando, com o técnico de guitarra John Marshall tocando a guitarra base.

Um memorial para Cliff Burton, em Ljungby, Suécia Em 27 de setembro de 1986, durante a parte europeia da turnê Damage Inc., Cliff Burton faleceu perto de Ljungby, Suécia (em uma viagem entre Estocolmo e Copenhague) quando o ônibus da turnê deslizou na rodovia congelada e tombou.15 16 A morte de Burton resultou em questionamentos sobre o futuro da banda. Por fim os três membros remanescentes decidiram continuar o trabalho, e com o apoio da família de Burton começaram a busca por um substituto. A canção “To Live is to Die” foi gravada posteriormente em homenagem a Burton. Na música podem ser ouvidas frases na voz de Burton: “Quando um homem conta uma mentira ele mata alguma parte do mundo. Estas são as pálidas mortes com que homens desperdiçam suas vidas. Isso tudo eu não posso mais suportar, presenciar. O reino da salvação não pode me levar para casa?”. O corpo de Cliff foi cremado e as cinzas lançadas em Maxwell Ranch. Na cerimónia, foi tocada a música “Orion” (um instrumental) do álbum “Master of Puppets”. O Metallica tocou esta música em um medley em 1992 em San Diego na Califórnia junto com outras músicas, entre elas “My Friend of Misery” e citações a “(Anesthesia) Pulling Teeth” do álbum Kill ‘Em All por várias distorções de baixo entre um solo e outro.
A partir das audições para a escolha de um novo baixista estava Les Claypool (da banda Primus), um amigo de infância de Hammett. A banda gostou do baixista, mas considerava seu estilo muito diferente do estilo do Metallica. O convite foi feito a Jason Newsted. Jason reuniu-se à banda oficialmente em 28 de outubro de 1986, três semanas após o funeral de Burton. A turnê foi terminada nos primeiros meses do ano seguinte. Em julho de 1987 gravaram The $5.98 E.P.: Garage Days Re-Revisited para testar um novo estúdio que eles haviam construído e para mostrar ao Mundo o talento de Newsted.

 

 

…And Justice for All foi lançado em 1988, o primeiro álbum de estúdio desde a morte de Burton. Ele teve grande sucesso comercial, atingindo a sexta posição da Billboard 200, o primeiro álbum da banda a estar entre os dez primeiros. Apesar de críticas, em 1989 a banda recebeu sua primeira indicação ao Grammy pelo álbum, para a categoria Melhor Desempenho de Hard Rock/Metal Vocal Ou Instrumento. Entretanto, o prêmio foi ganho pela banda Jethro Tull pelo seu álbum Crest of a Knave. O resultado gerou muita controvérsia, pois a banda realmente esperava ganhar o prêmio e já estava na saída dos fundos do palco esperando ser chamada, logo após ter apresentado a canção “One”. Os integrantes do Jethro Tull (por muitos a banda não é considerada nem mesmo de hard rock e metal) não haviam nem mesmo ido à cerimônia, assumindo que sua chance de ganhar o prêmio era ínfima.
Seguido do lançamento de …And Justice for All, O Metallica firmou pela primeira vez seu compromisso com a grande mídia da música com seu primeiro vídeo musical para a canção “One”. A banda apresentou a canção em um depósito abandonado, e o vídeo foi remixado com cenas de uma versão do filme Johnny Got His Gun. Ao invés de organizar um acordo de licença para apresentar cenas do filme, a banda simplesmente comprou os direitos da obra. O vídeo foi enviado à MTV, com uma versão alternativa somente com a banda tocando, caso a emissora não aceitasse a versão original. Apesar de sua duração longa, a MTV aceitou o vídeo, e ambas as versões passaram a ser apresentadas.

Em 1991, o Metallica lançou o álbum homônimo Metallica (popularmente conhecido como The Black Album ou O Álbum Negro), que inclui canções como “Nothing Else Matters”, “Enter Sandman”, “Sad but True”, “The Unforgiven”, “Holier Than Thou”, “Wherever I May Roam”,Through The Never”, My Friend Of Misery” e “Of Wolf And Man”. A gravação foi co-produzida com Bob Rock, que já havia trabalhado com bandas de hard rock como The Cult, Bon Jovi e Mötley Crüe. O álbum possui uma capa toda preta com uma imagem pálida de uma cobra em um dos cantos, com o nome da banda no canto oposto. As sessões de gravação tornaram-se um processo longo e árduo, durando mais de um ano devido a conflitos entre os integrantes e argumentos com Rock sobre a direção do álbum, escopo e som. O custo de gravação superou um milhão de dólares. Entretanto, apesar da batalha para seu término, o álbum tornou-se o lançamento mais bem sucedido da banda, atingindo o topo da Billboard. O primeiro single de Metallica foi “Enter Sandman”, mostrando um estilo de música mais lento que trabalhos anteriores da banda. Devido ao novo estilo do som, mais alegações sobre uma “banda vendida” foram direcionados ao Metallica através da década de 1990. Em 1992, durante uma turnê muito bem sucedida financeiramente com o Guns N’ Roses, Hetfield sofreu severas queimaduras de segundo e terceiro grau devido a pirotecnia durante a abertura de “Fade to Black”, impedindo-o de tocar guitarra por um período da turnê. O roadie da banda e guitarrista do Metal Church, John Marshall preencheu a posição da guitarra de Hetfield durante esse período.

 

Amostra de “Sad But True” do álbum homónimo “Metallica” (1991). Robert Palmer, da revista Rolling Stone, acreditava que a banda tinha abandonado os andamentos rápidos para expandir a sua música e gama expressiva em 1991.
Problemas para escutar este arquivo? Veja introdução à mídia.

Após quase três anos de suporte ao álbum, incluindo uma apresentação no Woodstock 1994, a banda entrou em estúdio para escrever e gravar seu sexto álbum, Load. Interromperam esse período em meados de 1995 e apresentaram-se em três concertos ao ar livre, a chamada Escape from The studio Tour 1995, com bandas como Slayer, Skid Row, Slash’s Snakepit, Therapy? e Corrosion of Conformity. Load foi lançado em 1996, e durante sua produção inicial a intenção era um álbum duplo. Entretanto, foi decidido que seria melhor lançar somente metade das canções primeiro, continuar o trabalho nas canções remanescentes, e lançá-las no ano seguinte. Essa continuação do trabalho resultou no álbum seguinte da banda, ReLoad, de 1997.
Esses dois álbuns representaram uma significativa mudança musical para o Metallica, as melodias rápidas de heavy metal com composições sobrepostas de guitarra foram substituídas por melodias de blues e guitarra havaiana. Mas essa mudança fez com que a banda conseguisse uma maior audiência e maior sucesso comercial, aumentando os boatos de que o Metallica havia se “vendido”.

Em 1998, foi lançada a compilação Garage Inc., que consistia em um álbum duplo. O primeiro CD contém gravações inéditas de covers de bandas como Killing Joke, The Misfits, Thin Lizzy, Mercyful Fate, Black Sabbath, Nick Cave e Bob Seger. O segundo CD contém gravações antigas de covers, incluindo o
Em 7 de março de 1999, a banda foi indicada à calçada da fama de San Francisco. O então prefeito da cidade Willie Brown, proclamou aquele como sendo o “Dia Oficial do Metallica” em San Francisco. Um mês depois em 21 e 22 de abril, a banda gravou duas apresentações com a San Francisco Symphony Orchestra, na época conduzidas por Michael Kamen. Kamen, que já havia trabalhado com Bob Rock em “Nothing Else Matters”, havia entrado em contato com a banda oito anos antes, logo após o lançamento do Álbum Preto, com ideias sobre a junção da música do Metallica com uma orquestra sinfônica. Kamen e sua equipe compuseram material de orquestra adicional para um número de canções da banda, e os concertos apresentaram uma seleção de canções datadas até a época de Ride the Lightning. A banda também escreveu duas novas canções com Kamen para o evento, “No Leaf Clover” e “Minus Human”. A gravação de áudio e o vídeo do concerto foram lançadas em novembro de 1999 com o nome S&M, em CD, VHS, VCD e
em 2000, os integrantes do Metallica descobriram que uma versão demo de sua canção “I Disappear”, que era composta para ser lançada junto à trilha sonora do filme Mission: Impossible II, estava tocando nas rádios. Após descobrir a fonte de distribuição, a banda encontrou o arquivo na rede peer-to-peer de compartilhamento de arquivos do Napster, e também descobriram que todo seu catálogo foi livremente disponibilizado. Foi iniciada uma ação judicial contra o Napster com Metallica deixando a ação judicial na United States District Court for the Central District of California, alegando que a Napster violou três áreas da lei: violação de direitos autorais, utilização ilegal de interface dispositivo de áudio digital, e Racketeer Influenced and Corrupt Organizations Act.
Ações legais também foram iniciadas contra a Universidade de Yale, Universidade do Sul da Califórnia e Universidade de Indiana, por não bloquearem o Napster em seus campos. No ano seguinte, ambas as partes concordaram em um acordo fora dos tribunais que levou ao bloqueio de contas de utilizadores do Napster, e a banda não iniciou ações legais contra indivíduos por violação de direitos autorais.
Ulrich liderou o caso contra Napster
Com a controvérsia sobre a validade ou não de compartilhadores de arquivo, páginas web publicavam paródias dos membros da banda. Como retaliação, Ulrich apareceu no MTV Video Music Awards de 2000, em um vídeo com o apresentador daquele ano Marlon Wayans, no qual arruinava a ideia de usar o Napster para compartilhar música. Marlon interpretava um estudante universitário sentado em seu dormitório, ouvindo a canção “I Disappear” do Metallica. Ulrich, interpretando a si próprio, aparece e pede uma explicação. Após receber a desculpa de Wayan de que usando o Napster estava somente compartilhando, Lars replicou que a ideia de Marlon sobre compartilhar era simplesmente emprestar coisas que não eram suas sem pedir. Ele chamou então a equipe de turnê da banda, que proseguiu confiscando todos os pertences de Wayan, deixando-o quase nu em um quarto vazio. O criador do Napster Shawn Fanning respondeu posteriormente à cerimônia ao apresentar um prêmio vestindo uma camiseta do Metallica com os dizeres “Eu peguei esta camisa emprestada de um amigo. Talvez, se eu gostar dela, irei comprar uma própria”.23
O desgaste da imagem da banda junto a seu público foi grande, já que a banda iniciou sua carreira na cena underground com a troca de bootlegs de suas apresentações. Esse fato fez com que a imagem da banda, que já estava arranhada pelos dois álbuns de estúdio anteriores, ficasse ainda mais comprometida junto a seus fãs mais antigos.24 A defesa da banda era que o Napster estava permitindo acesso livre a todo o seu catálogo e não somente os bootlegs ao vivo.

Com planos de volta aos estúdios em 2001, Newsted deixou a banda em janeiro alegando danos físicos após vários anos tocando com o grupo. Entretanto, entrevistas posteriores com Newsted e os integrantes remanescentes revelaram que o desejo de Newsted de lançar um CD e entrar em turnê com seu projeto paralelo Echobrain, e a resistência intensa de Hetfield à ideia, foi a causa primordial da saída do músico.25 Jason também alegou que não havia espaço para ele compor porque James Hetfield “impôs” essa barreira.
Em julho de 2001, Hetfield entrou em reabilitação devido a alcoolismo e outros vícios, e por quase um ano a banda entrou em hiato. Com a volta do vocalista, a banda voltou lentamente como um trio para a composição e gravação do próximo álbum. A tarefa de tocar baixo nas sessões de gravação havia sido desempenhada pelo produtor e conhecido da banda Bob Rock. A gravação do álbum foi documentada para o filme Some Kind of Monster.

 

 

No início de 2003, seguido da gravação do álbum, o Metallica iniciou audições para a escolha de um substituto permanente para Newsted. Robert Trujillo, anteriormente do Suicidal Tendencies e da banda de Ozzy Osbourne, foi escolhido como novo baixista. Jason Newsted acabou reunindo-se com a banda de thrash metal Voivod em 2002. Acabou também substituindo Robert Trujillo na banda de Ozzy durante a turnê Ozzfest de 2003.26 Ainda em 2003, o Metallica foi escolhido como ícone da MTV americana, na terceira edição do MTV Icon, uma espécie de “Hall of Fame” da emissora, que homenageia grandes bandas e artistas solo pelos serviços prestados a música, com o evento realizado em Universal City, Califórnia. O show começou com Sum 41 tocando “For Whom The Bell Tolls” e “Enter Sandman”. Em seguida, os quatro integrantes do Metallica apareceram no palco e passaram pelo meio da multidão extasiada até chegar a seus lugares na primeira fileira do público. A carreira da banda, ao longo de duas décadas, foi documentada em dois telões, entre uma apresentação e outra, mas a saída de Dave Mustaine e a morte de Cliff Burton, membros originais da banda, quase não foram mencionadas. Avril Lavigne cantou “Fuel” com sua banda. O rapper Snoop Dogg fez uma versão em karaokê de “Sad But True”, e o Korn foi ovacionado em pé pelo Metallica por sua versão de “One”. O Limp Bizkit apresentou uma versão rap metal de “Sanitarium”. Tocando em público pela primeira vez com o novo baixista Rob Trujillo, o Metallica apresentou um medley de canções que abrangem de 1983-1991, seguida de “Frantic” que foi tocada ao vivo pela primeira vez. Os apresentadores do concerto incluíram Rob Zombie, Lisa Marie Presley, Travis Barker, do Blink 182, a atriz Shannon Elizabeth, o ator Sean Penn, o humorista Jim Breuer e Chester Bennington, do Linkin Park. A MTV criou um site para promover o especial, com depoimentos de celebridades e músicos, incluindo Kelly Osbourne, Sully Erna do Godsmack, Ja Rule e David “Phoenix” Farrell, do Linkin Park.
Em junho de 2003 foi lançado o oitavo álbum de estúdio do Metallica, St. Anger, estreando na primeira posição das paradas musicais da Billboard 200.27 Intencionalmente seco e bruto, e também desprovido quase que completamente de solos de guitarra, foi seguido de críticas do fãs. Apesar disso, o álbum ganhou o Grammy Award de 2004 para Melhor Desempenho de Metal.
Após turnês extensas divulgando o álbum na Summer Sanitarium Tour 2003 e na Madly in Anger with the World,28 a banda entrou em hiato dos concertos e passou a maior parte de 2005 com amigos e família.

Em 16 de fevereiro de 2006 a banda anunciou em sua página oficial que após um relacionamento de mais de quinze anos, o produtor musical de longa data Bob Rock não gravaria o próximo álbum de estúdio do Metallica. O grupo gravou em 2008 um álbum de estúdio com o produtor Rick Rubin,29 que já trabalhou com outras bandas proeminentes de rock e metal como Slayer, Danzig, System of a Down, Slipknot, Red Hot Chili Peppers, Rage Against the Machine e atualmente Linkin Park. A banda esteve em Portugal a 28 de junho de 2007, na sua Sick of the Studio Tour, proporcionando um grande concerto no festival Superbock Superock, juntamente com Joe Satriani e Mastodon, onde tocaram temas poucos habituais nos seus concertos, como a instrumental “Orion” e a canção “…And Justice for All”, a banda já não tocava essas músicas ao vivo há mais de dezoito anos.
Em 12 de setembro de 2008 foi lançado Death Magnetic; o álbum alcançou o topo em vários países e foi aclamado pela critíca e por boa parte dos fãs. Em 21 de outubro de 2008 o Metallica iniciou a turnê “World Magnetic Tour”, que estava associada ao Death Magnetic, que acabou em 21 de novembro de 2010. Em 3 de abril de 2009 o Metallica lançou o single “Broken, Beat & Scarred”, que também fazia parte do álbum Death Magnetic.
Nos dias 4, 6 e 7 de junho o Metallica fez shows na Cidade do México, no México. Mais tarde é lançado o DVD ao vivo Orgulho, Paixão e Glória: Três Noites na Cidade do México. Em 7 de julho de 2009 a turnê passou pela França, onde o Metallica fez um show ao vivo, que posteriormente lançaram o DVD ao vivo Français Pour Une Nuit.
Em 04 de abril de 2009, o Metallica subiu ao palco para tocar um medley de seus principais hits na cerimônia do Rock and Roll Hall of Fame, e dois dos baixistas do grupo, Jason Newsted e Robert Trujillo tocaram juntos. O vocalista James Hetfield e o baterista Lars Ulrich se abraçaram no palco após falar com o público e agradeceram aos fãs que acompanharam os altos e baixos da banda, como a morte do antigo baixista Cliff Burton em 1986.
– Sonhem alto e se atrevam a errar. Eu os desafio a fazer isso, porque isso aqui (o sucesso do Metallica) é uma prova viva de que é possível transformar um sonho em realidade – disse Hetfield.

 

 

Os nomeados são escolhidos por 600 pessoas de um grupo de cantores elegíveis 25 anos depois de seu primeiro álbum ser lançado. Entrar para o Rock and Roll Hall of Fame é considerado uma grande honra entre músicos do rock, desde a década de 50.
Depois de 11 anos de ausência, o Metallica retornou ao Brasil no início de 2010 para três shows, em Porto Alegre (28 de janeiro) e São Paulo (30 e 31 de janeiro). Na primeira noite na capital paulista, o show teve todos os 68 mil ingressos vendidos, lotando o Estádio do Morumbi30 . Nas três apresentações no Brasil, a banda tocou várias músicas que levaram o público ao delírio, seus grandes clássicos, além de músicas do mais recente álbum Death Magnetic, de 2008. Os dois shows em São Paulo tiveram a abertura da banda brasileira Sepultura. Em Porto Alegre, o Metallica se apresentou pela segunda vez, mas o vocalista James Hetfield se enganou ao dizer aos porto-alegrenses que o Metallica estava pela primeira vez na cidade, mas logo o guitarrista Kirk Hammett corrigiu fazendo um sinal com as mãos mostrando que era a segunda apresentação.

Em junho de 2010 o Metallica, juntamente com Slayer, Megadeth e Anthrax, realizaram uma turnê juntos na Sonisphere Festival na Polónia, República Checa, Bulgária, Roménia e Turquia, chamada Big Four of Thrash. Em 22 de junho, todas as bandas tocaram no mesmo palco juntas pela primeira vez, em Sofia Bulgária, a música “Am I Evil?”, cover de Diamond Head realizado pela primeira vez em 1984, pelo Metallica. Esta é também a primeira vez que James Hetfield e Dave Mustaine tocaram juntos desde 1983, quando Mustaine foi expulso do Metallica. Os shows foram gravados e editados e, em seguida, foi ao ar em mais de 800 cinemas em todo o mundo no mesmo dia do festival. Esse show marcou a história do rock, e foi gravado em DVD/Blu-ray ao vivo, initulado “The Big 4 Live from Sofia, Bulgaria”.

Em uma entrevista de novembro de 2010 com The Pulse of Radio, Lars Ulrich afirmou que o Metallica quer voltar a escrever novamente para 2011. Ulrich afirmou: “Há um monte de boatos no ar em 2011, mas acho que o principal é que realmente queremos voltar a escrever novamente. Nós não escrevemos desde 2006 ou 2007, e por isso nós queremos ser criativos novamente. Provavelmente, eu diria, março ou abril, e começar, provavelmente, volta a escrever algumas músicas”, diz Lars Ulrich.
Em 13 de dezembro de 2010 o Metallica anunciou que voltará a realizar o Big Four, durante o Sonisphere Festival, no Reino Unido, em 8 de julho de 2011. Esta foi a primeira vez que todos os membros do Big Four vão estar no mesmo palco no Reino Unido. O show aconteceu em Knebworth House, Hertfordshire. Outro show do Big Four teve lugar na França em 9 de julho de 2011.
Em junho de 2011 Metallica lançou a versão da banda do jogo Monopoly. banda, Além do Metallica, Kiss, The Beatles, Elvis Presley e The Grateful Dead estão entre as outras bandas que já tiveram sua própria versão do jogo.31
Em 16 de junho, no site oficial, a banda revelou que lançaria, em 31 de outubro, para o mundo inteiro, e 1 de novembro nos Estados Unidos, o álbum Lulu, o disco foi inspirado em duas peças do dramaturgo alemão Frank Wedekind: “Earth spirit” e “Pandora’s box”. As letras foram originalmente compostas por Lou Reed para uma montagem teatral em Berlim.
Em 25 de setembro de 2011, a banda fez o show de encerramento da noite do metal na versão original (brasileira) do Rock in Rio para cerca de 100 mil pessoas.
Em Dezembro de 2011, o Metallica fez uma série de 4 shows em The Filmore (Estados Unidos), para comemorar os 30 anos de estrada da banda. A apresentação contou com todos os membros que fizeram parte da banda e ainda estão vivos: Dave Mustaine, Jason Newsted, Ron McGovney, Lloyd Grant (foi o primeiro guitarrista do Metallica antes de Mustaine e de acordo com Lars, este show foi o primeiro onde Grant subiu ao palco com a banda), e também contou com convidados como, Mercyful Fate, Apocalyptica, Diamond Head, Ozzy Osbourne, Rob Halford, Danzig, John Bush, Jerry Cantrell, Kid Rock, Marianne Faithfull, Geezer Butler, Biff Byford e Bob Rock. Ainda não foi anunciado se haverá lançamento oficial em DVD ou Blu-Ray do evento.[carece de fontes]
A 12 de Dezembro, o Metallica lançou uma EP composta por quatro faixas excluídas do albúm Death Magnetic de 2008, intitulada Beyond Magnetic.
No dia 21 de Dezembro de 2011, a banda confirmou oficialmente o seu regresso a Portugal para um show no Rock In Rio 2012 de Lisboa no dia 25 de Maio.
Em 7 de fevereiro de 2012, o Metallica anunciou a criação do seu próprio festival, Orion Music + More, que aconteceu nos dias 23 e 24 de junho em Atlantic City, em Nova Jersey, nos EUA. Mais de 30 artistas foram confirmados, entre eles Arctic Monkeys, Avenged Sevenfold, Sepultura, Suicidal Tendencies, Ghost, The Sword, Cage The Elephant, Eric Church, Gary Clark Jr. e muitos outros.

 

Discografia:

Kill ‘Em All (1983)
Ride the Lightning (1984)
Master of Puppets (1986)
…And Justice for All (1988)
Metallica (1991)
Load (1996)
ReLoad (1997)

Garage INC. (1998)

S&M(1999)
St. Anger (2003)
Death Magnetic (2008)

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Metallica

Lançamento: Os Escolhidos

 

os escolhidos

 

Não recomendado para menores de 14 anos
A família Barret leva uma vida pacata e tranquila no subúrbio, mas isso começa a mudar quando uma série de estranhos e misteriosos eventos passa a fazer parte de sua rotina. A família acaba descobrindo que existe uma terrível e mortal força atrás dela e precisará lutar por sua sobrevivência.

Elen

co destaque: Keri Russell, Josh Hamilton, Dakota Goyo, Kadan Rockett, J.K. Simmons

DARKTOWER: grupo finalmente confirma nova line up

A banda carioca DARKTOWER, após um longo período de realizações de testes para a seleção de novos músicos para sua line up, confirmou recentemente sua nova formação.

 

Os membros remanescentes, Flávio Gonçalves (vocalista) e Rodolfo Ferreira (baterista), confirmaram as entradas dos guitarristas Raphael Casotto (Pagan Throne) e Tauan Rithmains (Prophecy), além do baixista Bruno Valente (Boreal Doom) no baixo. “Estamos com força total, ensaiando e preparando a tão aguardada apresentação de lançamento do nosso debut, intitulado ‘…Of Chaos and Ascension’, declarou Rodolfo. “Gostaríamos de agradecer a todos os candidatos que dedicaram o seu tempo à banda, onde se dispuseram a marcar datas para fazer audições, aos que nos enviaram vídeos tocando nossas músicas, enfim, obrigado a todos! E aos amigos e fãs: Nos vemos nos palcos em breve”, finaliza ele.

 

Em paralelo, “…Of Chaos and Ascension” tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2013, através da Eternal Hatred Records, com distribuição da Voice Music e Mutilation Records para as principais lojas especializadas e MegaStores do país.

Para mais informações sobre as atividades da banda DARKTOWER e dos demais

dark_tower_promo_pic

Grave divulga lyric video e repertório de novo álbum

Capa

 

A banda Grave lançou o vídeo com letra da faixa “Venial Sin”, que conta com a participação do guitarrista Eric Cutler, integrante do grupo Autopsy. A música faz parte de seu novo EP “Morbid Ascent”, que chegará às lojas, em formato de vinil, e em formato digital no dia 26 de agosto.

O EP contém duas faixas inéditas, o cover da música “Possessed”, do grupo Satyricon, um remix, uma regravação e a versão do ano de 1989 da faixa “Sexual Mutilation”. Sua capa foi feita pelo artista Costin Chioreanu, que já tinha trabalhado com o grupo anteriormente.

Confira o repertório do EP e o ‘lyric video’ abaixo:

Stone Sour lança videoclipe de "Tired"

stone sour

O Stone Sour divulgou nesta quarta-feira (14) seu mais novo videoclipe, “Tired”. A faixa integra a primeira parte de “House of Gold & Bones”, um álbum dividido em dois lançamentos.
Os discos foram gravados no Sound Farm Studios, em Iowa, com o produtor David Bottrill, que já trabalhou com Tool e Muse.
A banda, liderada pelo vocalista do Slipknot, Corey Taylor, lançou recentemente o videoclipe da faixa “Do Me A Favor”, o primeiro ‘single’ oficial do “House Of Gold & Bones – Part 2”.
Assista “Tired” abaixo:

Resenha: Deep Purple: Now What?!

deep-purple-now-what-640-80

Se por um lado é como se o tempo não tivesse passado desde “Rapture of the Deep”, lançado em 2005, devido ao entrosamento da banda e à continuidade que “Now What?!” dá à carreira do grupo, por outro lado é fácil dizer que o novo disco do Deep Purple não é para audiências novatas.

É claro que o público mais jovem pode – na verdade, deve – apreciá-lo. Mas “Now What?!” não é um disco feito pensando nos tempos atuais. Nada de modernices tolas nem experimentações que não tem absolutamente nada a ver com a banda. O Deep Purple mostra o rock setentista que sabe fazer de um jeito muito único.

E é por isso que melhor de “Now What?!” é que ele soa como Deep Purple. A afirmação parece estúpida? Mas acredite, há muita banda ‘veterana’ querendo soar moderna e o resultado acaba sendo um disco esquisito (no mau sentido) e fora de contexto. Quem ajudou a garantir isso ao Deep Purple foi Bob Ezrin, responsável pela produção do álbum.

Bob Ezrin – conhecido por ter trabalhado em clássicos do Pink Floyd, Alice Cooper e Kiss, entre outros – precisou ser convencido a produzir o disco. Ele não queria. O renomado produtor recentemente tem trabalhado com artistas mais pop e mais novos. Ele foi a uma apresentação do Deep Purple e depois de ver o grupo fazendo o que chammou de uma “jam progressiva”, ficou encantado. Sua proposta para a banda era fazer um disco nessa linha ou não fazer.

Como a banda embarcou na ideia, ouvimos ecos de rock progressivo – o progressivo peculiar do Deep Purple, óbvio – em faixas como “Out of Hand” ou “Above and Beyond” e em tantas outras. Em todas, sejamos sinceros. Repare especialmente em “Après Vous”: dos seus quase cinco minutos e meio, a maior parte é feita como se a banda estivesse tocando ao vivo. Há uma parte da música que é como um improviso em cima do palco. A energia da faixa, com seus riffs pesados e teclados contundentes, é contagiante.

O disco começa com “A Simple Song”, que se parece com uma balada. Mas não se deixe enganar pelo começo etéreo e calmo da música, pois aos dois minutos ela explode entre riffs e teclados nervosos. Mesmo a balada presente no repertório, “All the Time in the World”, traz essa pegada ‘jam’ citada acima, esse som denso, rico e apaixonado. “Vincent Price” (veja o videoclipe acima), um dos momentos mais ‘comerciais’ do disco quase que não serve para a programação normal de uma FM – seria editada.

Não posso deixar de citar “Uncommon Man” – cujo tema é inspirado na “Fanfare for the Common Man” de 1942 – e “Above and Beyond”, canções que a banda dedicou ao ex-integrante Jon Lord, morto no ano passado. O disco encerra com um delicioso blues rock, “It’ll Be Me”.

 

 Deep Purple: Now What?!

2013
Hellion Records/earMusic

01. A Simple Song
02. Weirdistan
03. Out of Hand
04. Hell to Pay
05. Bodyline
06. Above and Beyond
07. Blood from a Stone
08. Uncommon Man
09. Après Vous
10. All the Time in the World
11. Vincent Price
12. It’ll Be Me

Metal Generation é um site que engloba os principais acontecimentos do mundo da música e do entretenimeto